Editora Zamoner - Genesis

Horário de atendimento

De segunda a sexta-feira das 08:00 as 11:00 e das 14:00 as 17:00


Gêneros dos textos
Infantil113
Artigos294
Ensaios60
Contos472
Crônicas415
Poesias1498
Resenhas56
Entrevistas24
Pensamentos312


Mais visitados
CRÔNICA, CONTO, ROMANCE, NOVELA...14060
M I N H A M ã E2916
B E I J A - F L O R2654
Cotas: uma forma de reparo social1820
Ela:Tornando-se primeiro pronome.1619


Mais recentes
CHUVA DE JANEIRO27/01/2021
OLHAR DE ANASTÁCIA26/01/2021
SONETO DE UM MENINO13/12/2020
Primavera22/09/2020
O Código de Ética de Psicologia e a Prática do Psicólogo nas Organizações10/08/2020

Lançamentos




  • Encerra-se a primeira turma de pós-graduação em dança de salão com magnífica produção científica.

    Para a dança de salão brasileira, o ano de 2005 é um divisor de águas. A partir desta data, começa a educação formal na área, o que se deve à abertura da primeira turma de pós-graduação em dança de salão, na Faculdade Metropolitana de Curitiba - FAMEC. O curso tem duas coordenadoras, uma das quais, conhecida por fazer parte do âmbito da dança há muito tempo: Gracinha Araújo. Devido a uma vida dedicada à dança clássica, enfrentou os preconceitos vigentes no meio da dança de salão, superando as dificuldades. Com Abigail Carneiro, tornou realidade, de maneira pioneira, o que muitos só sonharam. O resultado... (leia mais)


    Maristela Zamoner

  • Literatura Paranaense - Provocações Provocações

    Teve alguém que disse: “Ou o poeta mata o soneto ou o soneto acaba com a poesia”. E não foi com tal radicalismo que se chegou ao bom poema de nossos dias. Vivem e convivem: quadras, sonetos, sextilhas, trovas, décimas, poesias livres e sem rimas, haicai... Só o féretro da antipoesia deve passar sem o acompanhamento de leitores. A arte é da vanguarda porque rompe o entrave de regimes e ideologias, e o Modernismo é um movimento de vanguarda, por excelência. Aos escritores, artistas e poetas cabe a responsabilidade de guiar os povos, restaurando valores, porque o entulho destrói a sociedade e, isto tem muita importância num mundo aético, de valores invertidos, espalhando e espelhando formas de anticultura. Já virou modismo representar a miséria e, dói-nos dizer, chegam a... (leia mais)


    Carlos Zatti

  • A INDISPENSÁVEL FORMAÇÃO DO ESCRITOR

    "Por força de nossa tarefa diária como editor da Editora Protexto, nos deparamos com centenas de escritores ansiosos por terem seus textos avaliados e desejosos de publicarem suas obras. Tarefa árdua a nossa, pois termina sempre numa sucessão de negativas frustrantes. "Ao contrário do que muitos pensam, o primeiro passo para se tornar um escritor não é a publicação de um livro, mas sim, a busca de sua formação para encarar a tarefa de escrever com profissionalismo. "Durante alguns anos ministrei um Curso de Escritores através da Casa do Escritor que infelizmente foi desativada. O Curso que era feito pela Internet e o atendimento, personalizado. "Após quase dois anos de existência,... (leia mais)


    Airo Zamoner

  • Vida vazia, vida marota!

    Dr. Agildo caminhou vagarosamente até a enorme varanda. Saboreava os momentos do entardecer, um a um, como rotina para receber a noite implacável e então, recolher-se para o descanso. Desta vez, contudo, sentia-se diferente. Seus pensamentos esvoaçavam de um canto para outro da memória, contrariando seus comandos, inquietando seu espírito. Sentou-se na velha cadeira, admirando o extenso jardim. Os canteiros, emoldurando as divisas com suas cores imprevisíveis, tentavam suavizar seus sobressaltos. O ipê majestoso, que ele próprio plantara há tantos incontáveis anos, mantinha-se incólume a seus pensamentos. Parou seus olhos no aparente desordenado trabalho da velha árvore, largando o amarelo de pétalas a se desprenderem a cada instante, formando verdadeira alcativa.... (leia mais)


    Airo Zamoner

  • MORDAÇAS CULTURAIS?

    “... A língua é minha pátria, e eu não tenho pátria, tenho mátria e quero frátria...” “Língua” Caetano Veloso “Vossa Mercedes aceita uma chávena de chá?” – tradução: “Cê qué um chá?” Pois é... Nossa belíssima Língua Portuguesa está sendo muito maltratada... Mas nos orgulhamos de nossa unicidade lingüística, apesar de nossos quase 8.600.000 Km². Oficialmente não há dialetos no Brasil. E nos orgulhamos disto. De uma mentira oficializada? De um massacre brutal, porém discreto? Que tenhamos apenas uma língua oficial em todo o território brasileiro é de se aceitar e de causar orgulho. Especialmente quando se vê a dificuldade de comunicação entre os habitantes de um país territorialmente tão... (leia mais)


    Tânia Gabrielli-Pohlmann




CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.