Renato Prado






VIDA BATE – BATE


 
Perguntei à vida porque ela tanto me batia
E ela, sem responder, bateu mais forte

Chorei, sofri, quase morri
E novamente perguntei

E ela, danada, novamente veio e bateu
Mais forte ainda.

Cansado e incomodado
e todo machucado fiquei.

Mas teimoso e danado da vida
Novamente perguntei

E ela, sem responder, mais forte ainda bateu.
Ai, um dia, já sem perguntas e quando já nem me lembrava mais
Ela veio e disse
Que batia por que assim eu crescia...
 

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.