João Victor Da Silva Sousa






Inconfidente

 Vejam o barulho das armas,
Olhem os sons esquisitos
De uma guerra sem vencedor.
 
Ouça o estralar dos dedos,
Veja os sangues jorrando
De uma lei que nunca se fundou.
 
Observem as crianças, sem garantia de futuro
Escutem o berro delas, correndo por brincadeira
De uma bomba que espocou.
     
Leia os números imprecisos e a ciência verdadeira
Estude as mentiras feitas pelo fato
De alguém que nunca estudou.
 
Agora, olhe para o passado!
Feito por maiores vergonhas
De um lugar que nunca se habitou.
 
Neste momento, olhe para si, olhe para o outro e veja o acontecimento
As pessoas infelizes, a natureza destruída, a tecnologia com vida
De uma humanidade feita por robôs.
 
Assista às chuvas passageiras, se afogue na indecisão interna,
Navegue pelo oceano sem cor, acorde na cama e conclua:
‘’Vivo em um mundo cheio de dor!’’        
 

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.