Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Jardim






Foram eternos dias

foram eternos dias a procurar-te até que enfim desistisse, guiado por uma inútil esperança até que esta em pó se desfizesse. tanto foi o tempo a modificar-te que te tornaste como quando não existias. voltaste a ser como se nunca te tivesse encontrado, quando não sabia que havias nascido, alguém que passava por mim anónimo na multidão. os lençóis que nos envolviam já não existem. somos o que não éramos, o que poderíamos ter sido, o que nunca fomos. foram dias e dias, insano e cego, oco e roto, até me convencer que nunca te conheci, que as minhas mãos nunca te tocaram e te percorreram, que nunca me enrosquei na textura dos teus  pelos, que nunca conheci os teus medos, que nunca te deitaste a meu lado e repousaste tua cabeça sobre meu peito,  que nunca fizemos planos, que nunca invadi tuas fendas. me concedeste a oportunidade de estar livre de meus enganos.


Assista o vídeo:
www.youtube.com/watch?v=lWrJSGLDmMA

Baixe o e-book:
http://goo.gl/u1YQm

Poema do livro Crônicas do Amor Impossível
Autor: Jardim.

A venda em:
Impresso
Livraria Prefácio
rua Voluntários da Pátria , 39- Botafogo - RJ

Digital
http://goo.gl/TovjE

contato:
jardim.net@gmail.com
http://www.facebook.com/sergio.almeida.jardim
twitter.com/SERGI0_ALMEIDA
br.linkedin.com/pub/jardim/2b/22/a7b/
plus.google.com/107896363886156429546

Tempo de carregamento:0,01