Amarilia Teixeira Couto






Então, fiquemos assim...

Não mais lhe direi o que não quer ouvir
Nem farei do meu desejo
O álibi pra não vê-lo partir
Não tema o meu choro
Pois não o derramarei
Muito menos me arrastarei
A seus pés
Lembrando a(nossa) música de Elis.

É melhor que se vá
De vez da minha vida
Se já não vejo em seu olhar
A ternura de antes
Se não mais sinto em nós
A cumplicidade de amantes
Sequiosos da pele
Da boca
E do olhar um do outro

Quando o amor se cala
E nada mais existe nos silêncios
E o riso não se manifesta no abraço
Ah, não tem mais jeito
O que foi já se desfez
De vez
Sem clemência
Sem chance a um equívoco
O oco
O vazio
É o que resta do que foi intenso
E lindo
Mas que é amor findo
Amarelado
Apagado

Mas vá
Pegue a estrada da vida
Por certo
Encontrará outra querida
“E se olhares bem nos olhos meus
Verás que o meu olhar já é de adeus”
Fiquemos assim:

Você na sua
E eu em mim
Até que a vida nos presenteie
Com um novo amor.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.