Amarilia Teixeira Couto






Não permita,amor!

Não permita, amor!


Não, amor,
Você não pode ter medo da entrega
Não pode olvidar do presente
Nem abrir mão da quimera.
Não e não!
A gente precisa vencer o medo
De ser feliz
Não permitir
Que
Por um triz
Tudo vire
“um quadro na parede”


Quem disse que o amor é fácil?
Mas sem
Ser do outro por inteiro
Sem entrega
Sem ir-se às cegas
Ao encontro do desejo
É tudo vão

Não há lugar
Para o “mais ou menos”
A paixão é gulosa
Voraz
Mas é por ela
Que a poesia existe
Que o verso tremula
No suspiro do beijo
E vira um poema
Quando já se achava
Sem inspiração


Não desista, amor,
Da alegria genuína
Do meu jeito de menina
Que só você
Sabe despertar em mim

A vida é assim:
Faz a gente ter medo de ser feliz
Faz ter saudade do vazio
Faz querer a solidão de volta

Sabe por que, amor?
Ser dois é muito mais que ser um,
Querer bem é ir além
Muito além do convencional
Quebram-se regras
Rompem-se acordos
Novas trilhas são buscadas....


A entrega exige isso.

Mas a gente muda
Se deixa devorar
e nos tornamos cada vez mais inteiros.


Ah, esse amor verdadeiro....



CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.