Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Erwelley C.de Andrade






Condolências

 
Condolências
 
 
Lamento por não saber fazer, lamento por não poder te ver, se chorar adiantar, é melhor começar
A torcer as toalhas. Sinto muito por tantas pessoas envolvidas com esse tipo de balaio, sinto tanto
 Por tantas vezes em que tentei falar e todos tropeçaram em mim como se estivessem chutando
Uma pedra no caminho.
É medonho ficar estática enquanto tudo está sendo destruído por centenas de hálitos e cérebros
Cheios de podridão, falam bonito e no beco da desova despejam delitos.
Lamento por tanta lamentação, mais enquanto houver choro, há aumento da hipocrisia.
Abastece suas forças bem ali na esquina da propina.
Meus pêsames por logradouros marcados por pontos de recolhimento de cala a boca.
Sinto tanto e muito sinto se, contudo nada se extingui.
Olhar pro lado esquerdo do medo e ver gente pensando no sofrimento da mesma cor.
Adianta mover pro lado direito e as gargalhadas comandam o enterro.
Lamento por estar tentando evitar o enterro de uma nação que ainda está respirando,
Mas, com hospitais lotados e médicos em greve pra onde eu levaria?
Já é tarde pra essa cirurgia?
A doença chegou num estágio quase terminal e pra evitar mais constrangimentos
Lá se vêm eles com aquelas agulhas de injeção letal.
Quem disse que eu morri? Talvez sem braços, sem pernas, mais acho que vou gritar sem parar
Até alguém me prender e na sala vou dizer que o cortejo segue em frente na tentativa de enterrar a gente.
 
 
 

Tempo de carregamento:0,04