Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Arlete Meggiolaro






Sua INTENÇÃO, meu INTENTO


Sua intenção, meu intento

 
Tal qual vapor condensado,
eu precipito em gotas minhas fantasias
sobre seu corpo quente, suado.
Escorro pelas vielas do seu traçado,
misturo-me aos seus lagos com afagos.
Eu gota em suas gotas,
nossas partículas,
misturam-se em particular submissão.

Sua intenção primeira
de me adoidar
tenta meu intento
do querer lhe saciar.
E, neste momento,
descortino minha imagem,
e me vejo
deslizar pela vidraça do seu olhar,
desço no bosquejo dos seus lábios,
e grudo com o beijo.

Sua intenção e meu intento
deslizam na vertente do desejo.
Misturamo-nos nos largos lagos de afagos.
Deslizamos na perspectiva das nossas curvas.
Nós em nós
deslizamos, deslizamos, deslizamos...

A sensação de ser
a gota que instiga sua intenção primeira
faz parte deste devaneio dourado.

 
 
© Arlete Meggiolaro
Extraído do livro  ORVALHO D”AMLA
Editora Protexto
 
 
 


Tempo de carregamento:0,03