GENERINO GABRIEL DE JESUS






DESUMANO



O homem, o vento
A vida...
Quão vago é o pensamento
O homem constrói
E ao mesmo tempo destrói...
Os laços, as relações
Como se a vida
Fosse mera existência
Ao invés de comunhão
Entre as nações.

O homem, ser imponente
Sequer imagina
Nem mesmo sente
Que num breve movimento
O vento varre, apaga
Qualquer monumento
Desfaz nossas pagadas
E devasta as estradas.

Rodelas/BA, 05 de novembro de 2004

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.