Abraão Leite Sampaio.






Regressão cronológica.

Regressão cronológica.
Ao topo dos oitenta.
Aproxima-se o encontro esperado,
de quem trilhou esta estrada, longa e sedenta.
Terás o recompensar, se tiveres bons atos a denotar.

 
Quarenta chegando, demonstrando o crer no tudo saber.
Achando-se capaz de ao mundo com sua visão contornar.
Sem dimensionar que temos ângulo visual, limitando-nos no ver.
Idéia... mente... sabedoria, ainda distanciadas do completar.

 
Com vinte...tamanha viseira, o faz beirar a cegueira.
Constantemente o deixa com onipotência na mente.
Praticando erros grosseiros, acreditando-se pessoa primeira.
Então, sentir da angústia e desacordo ao distanciar do tempo presente.

 
Aos doze, o paraíso no dia a dia do então adolescente,
tudo é fácil e ao alcance de todos, ter sem esforço fazer.
Não raciocinam que este suave estar, resultou de esforço crescente,
indiferença, acreditando merecer tudo , objetivando apenas o satisfazer.

 
Aos cinco...anjo sem asas, perigo a rondar,
carece de acompanhamento em tudo que faz.
Progenitores sempre ao lado, evitando choques no andar.
Sem estes sinalizares, não encontrará o caminho da paz.
 
 
No útero...ainda por vir, sem luz e sem o sentir.
Ser diminuto...dependência total,
ainda não tem formação corporal, mas já recebe o afago maternal.
                                                            Abraão Leite Sampaio.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.