Arlete Meggiolaro






Mãe, Amor Mor!...

Mãe, Amor Mor!...

 

Na sua imensidão interior

meu universo imerso.

Em seu oceano de ternura

senti suas vibrações, seus carinhos

suas cantigas, seus afagos.

Quantos preparos para minha chegada,

alegria infinita e muito entusiasmo.

 

 

Expectativa, coração palpitante,

você sabia que comigo tudo seria diferente,

eu saindo do seu ente,

a  vida não seria como antes.

 

 

Mesmo você cercada de certeza,

eu cheguei de surpresa!..

Consigo comecei minha jornada,

ora no colo, ora de mãos dadas.

Mostrou-me caminhos,

conduziu-me pelos trilhos razão.

 

 

Enxugou minhas lágrimas,

abraçou-me, chorou comigo

quando me sentia frágil.

Tão ágil e vigorosa

ergueu-me quando escorreguei,

colocou bálsamo quando a primeira paixão

machucou meu coração.

 

 

Ah... por que me zanguei

quando me dizia “Não”...

se sendo  você racional,

concebia sua fiel opinião?

 

 

Mãe, seu nome é Amor,

seu sobrenome Incondicional.

Amor guerreiro...

Amor defensor de peito aberto...

Amor Mor.

 

 

Sou uma parte Você,

outra parte sou Você  mais  Eu

Você, grande parte do meu Viver!

 

 

Mãe maravilhosa,

o “Pecado Original”

foi o ato mais lindo!...

 

Eu nasci de Você,

 

Pérola preciosa do meu Ser!!!

 

Amo você acima de tudo!...

 

       ˜

 

 

© Arlete Meggiolaro

 

ORVALHO D’ALMA

 

*

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.