Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Cláudio Lyrozaski






PLANETA VIOLÊNCIA

 

No planeta violência

é certo

o horário de entrada:

pois quando começa

a orquestra

Harmonizada, por balas,

choros e rumores;

não há quem ouse

entrar naquela favela:

onde a lei está plantada,

cravada no muro,

e pichada

por sangue no asfalto;

onde Barrabás é o certo,

levando o justo a se dar:

mãos ao alto.

Ali o juiz

é o calibre do revolver,

obrigando um acordo:

por muitos não acordado.

No planeta violência.

Talvez quem passe por lá

não se depare com nada:

mas quem está lá,

ache normal encontrar-se:

com o lado oculto

da ordem e progresso.

 


Tempo de carregamento:0,04