beneditocglima






Na trilha

De longe escuto a canção
E o meu coração se agita
Errante viajante sou
E as trilhas esburacadas desaparecem
Sob os meus pés.
E o Sol dardejante
Faisca nas pedras
E os pássaros
Procuram seus ninhos
Eu que não tenho ninho
Debaixo da árvore me escondo
E com um estrondo a verdade aparece
Respingando a minha prece
E então me alongando vou sôfrego
Um passo trópego
E a visão esmaecida
Turva
Me faz ver alucinações
E os portões do Infinito
Num quadro tão bonito
Se abrem e me recebem
Mas eu não paro
Não quero parar
A minha ansiedade é poder  te encontrar
Na trilha da solidão.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.