beneditocglima






SOU POETA DAS ÁGUAS

Sou Poeta das águas
Que correm silentes
Cortando a Planicie pantaneira
Viajo no vôo da passaradas
E a Minha canoa desenha nas curvas do rio
A trilha do Pescador pantaneiro
Por isso o meu canto
Quebra o encanto 
Sou Poeta das àguas achocolatadas.
Se eu pego o berrante
Num instante faço a boiada agrupa-se
E o meu alazão disputa com o raio
A ligeireza
Enquanto o jacaré-tronco-dormente se espreguiça na areia.
O dia é um verso do menestrel
Que desagua  no sorriso da morena
Tão cheia de graça.
Sou Poeta das Àguas
Não tenho mágoa da vida.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.