Alexandre Carrara






Crônica da vida

A vida está morta.
Estão todos convidados para o velório da vida. 
Vele-mos a vida celebrando sua morte.
A vida nasceu no dia de finados. 
Findamos a vida doce na água salgada
A vida está morta de corpo e alma, 
Se é que ela vinda não sei de onde tinha alma, vida desalmada, desumana. 
A vida foi morta num estupro, com requintes de crueldade. - Foi uma maudade, mas sim a vida está morta desfacelada e ninguém viu nada.
Meus pêsames.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.