Luiz C. Lessa Alves






FELIZ: SER OU NÃO SER

  FELIZ: SER OU NÃO SER
 
Jamais será feliz aquele que viver apegado e se preocupando com quem não o é. Tristeza prolifera infelicidade, e gente triste é o que mais se vê por aí, buscando meios de partilhar com outrem o fardo amargo dos seus dissabores. Quer seja em festas, bares, praias ruas... ela está à solta em grupo ou dispersa, feito animal no cio; trocando sexo por migalhas: instantes fortuitos de prazer, e ainda se dizendo feliz.
            Essa gente acabrunhada mostra-se alegre e ditosa na tentativa vã deenganar a todos em volta, e a si também. Nada real nem duradouro lhe acontece, porque todos os seus meios utilizados para tanto são falsos e ilusórios. Mentiras é o veículo;bebidas e drogas são os principais combustíveis utilizados na superação da vergonha. Esses ingredientes dão-lhe coragem. O curioso é que ela se utiliza desses subterfúgios na esperança de, no mínimo, aplacar suas mágoas e esquecer suas desilusões. Mas, em geral, acaba vomitando e expondo junto com a bebida e droga sua vergonha incubada.
            Quer conhecer alguém, converse com ele durante um “porre”. Bebida faz a pessoa soltar língua e liberar o pudor.
Em qualquer circunstância, notando que seu interlocutor é infeliz, fuja dele; infelicidade nunca brota alegria. Acredite!
Partindo desse princípio, eu concluo: quer ser feliz, seja egoísta e imponderável! 

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.