Valdívio Barbosa Rocha Filho






O Outro Lado Da Bandeira

Brasil, terra amada
De lagrimas e raios de sangue
Brasil, ó terra amada!
Por quem soldados travaram suas batalhas
Tu és um país do amor, da dor e da cor,
 
Brasil, terra amada!
De lagrimas e raios de sangue
De motins à canhões
Da boa cerveja dos capitães
Às festas durante as esquadras
 
Para quem delas participaram
E sangues derramaram
Um país enorme elas formaram
As cartas e diários escritos
E mais alguns manuscritos
Segredos das naus desvendaram
 
Considerando o descaso e a miséria,
Hoje, muito já mudou.
Os reis despreparados,
Muita gente desestabilizou.
  
Deixou para trás sua história marcante,
De alfaiates reais e navios mercantes,
Ponderou a glória e o poder da realeza,
Sustentou por anos a família da nobreza.
Que beleza de colônia extrativista!
 
Sobre o ouro extraído pelos paulistas?    (bandeirantes)
Gastos do palácio, em dividas nos deixou.
Negros escravos a economia aumentou;
Por que o rei a independência comprou?
São da lista de perguntas frequentes,
Da cabeça de historiadores não dementes
 
Está na ‘cara’ da história no palácio
Que o rei fez um acordo correto
Às escuras seu credor ele pagou
Assim a estrutura do país alavancou
 
Tu és um país do amor, da dor e da cor,
És um país sensato nas palavras
Brasil, ó terra amada!
De lagrimas e raios de sangue
Que beleza de colônia, que amor!

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.