Lucas Eduardo dos Santos Rosa






Se não houvesse o se

Caso nenhum poeta o tenha cantado, 
Sempre teria tempo de faze-lo agora: 
Ah! Que mundo solidário e belo seríamos se as teorias fossem súditas da prática. 

Se as teses dos arquitetos brotassem dos canteiros de obras; 

Se os economistas avaliassem suas engenhocas tecnocráticas à mesa dos famélicos; 

Se os médicos dedicassem prioritariamente seu tempo aos que sofrem a doença por falta de atendimento à saúde; 

Se os jornalistas buscassem sempre a verdade; 

Se os advogados priorizassem a verdade; 

Se os governantes passassem a ser subordinados aos que permanecem como irremissíveis deserdados sem adjetivos; 

Se a maioria dos juízes e dos catedráticos, pretensos guardiões da justiça e do saber imparciais, apeassem de seus olimpos elitistas, sentissem o cheiro do povo, suas angústias, e descobrissem porque, pelos pobres, nunca os sinos dobram. 

Que bom seria se a ciência fosse neutra; 

Que bom seria se a tecnologia privilegia-se a vida; 

Que bom seria se os "anos novos" não fossem feitos por nós repetidamente velhos; 

Que bom seria se isto tudo que me veio a cabeça agora fosse improcedente! 
 


Biografia: 
Florianópolis, 24-01-2001 Carlos Roberto Bicca, 67 anos, economista com especialização em administração e marketing.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.