Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Hugo Arcanjo Araujo de Oliveira






Letras Espirradas.

Ao risco do lápis corro o risco de me arriscar,
Corro a corrida no decorrer da descrição,
Traço a trazida e traduzida forma de formatar,
Respiro as letras espirradas, minha inspiração.
 
Sob meu papo, o papel,
Sobre meu papo, o cordel.
Cordas me soltam, dão corda e saltam.
 
Me acordam, concordarão.
Palavras me prendem, palavreio o palavrão,
Barbeadas bordas virando bordão.
 
Será que bordarão? A vida dada tirada da mão.
Manejam a minha razão.
Detesto tudo, humanos imaturos,
Protesto mudo, mudar o mundo, mera ilusão.
 
Vivendo absurdos. Cegos vendo surdos,
Surdos ouvindo mudos a gritar, obrigação!
Pense nisso primeiro, do mundo não seja herdeiro,
Mas nele aprenda a se virar com o coração.
 
(Hugo Arcanjo Oliveira)

Tempo de carregamento:0,05