Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







AMAURI CHICARELLI






Agradecimentos ao Sr Orlando

Sr. Orlando Ciuffi
Quando critico uma obra, faço isso com isenção. A opinião do autor a respeito da vida não me interessa. Não ataco pessoas gratuitamente sem conhece-las. Aliás, não ataco pessoas de forma alguma -mas revido-. Se o sr. tivesse  lido o texto inteiro onde há menção ao AA, veria que as palavras não são minhas, são do personagem que acaba tendo uma morte trágica causada pela bebida. Não entendi exatamente por que me chama de "criminoso". É estranho ler isto de uma pessoa que se julga escritor, uma vez que neste oficio precisamos analisar todas as facetas da personalidade humana, sejam elas boas ou cruéis, para compor uma história. O sr poderia ter feito uma crítica até mesmo contundente sobre meus textos, sobre as falhas, enredos e tal. Mas não! Resolveu me atacar, me chamar de criminoso, viciado e outras coisas sem mesmo saber quem eu sou. Acho que uma pessoa de 70 anos deveria já ter alcançado a maturidade oriunda da experiência e da compreensão que adquirimos durante a  vida e não sair por ai xingando desconhecidos como uma criança tola. Quanto aos seus textos, são fracos e sem criatividade. O sr usa uma linguagem antiga e provavelmente só será apreciado por pessoas de sua idade. Gosto do Machado de Assis, mas dentro do século que ele viveu  e em consequência sua linguagem é densa, própria da época; É claro que não o estou comparando com ele, mas o Sr. não tem estilo próprio, parece que saiu pegando vários estilos diferentes e por isso seus textos são indefinidos, sem estilo e portanto sem qualquer teor verdadeiramente artístico. O sr. não escreve mal, mas deveria procurar seu próprio caminho e não misturar Allan Poe com Maupassant ou Flaubert, não dá certo. Abraços


Tempo de carregamento:0,05