José Firmo Cavalcanti Neto






De quando em quando

De quando em quando um novo perfil, um novo diagnóstico. De quando em quando me desespero em busca de algo distante, que nem mesmo a luz mas verdadeira me fará aceitar.
Por conta de meus pensamentos estranhos e quase inaceitáveis, me deparo como o fim, por vaidade.
Por conta de minha voz grave, me agravo e me desespero muito mais.
Por conta de mim, irás me deixar.
Por minha conta, optei por te amar em silâncio.
De quando em quando me vejo devidamente destruído por meus atos.
Mas de quando canso quando.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.