Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







William Augusto Pereira






MOMENTOS

Sinto no olhar
dos transeuntes famintos
os vermes entremexerem.
Em cada rosto
vê-se as angústias.
Em cada passo indeciso
Vê-se o caminho incerto.
Eles buscam um destino
abstrato.
Rumam em direções
infinitas.
Fogem de si mesmas.

II

Meus versos
não mais rimam.
Entrecruzam linhas
tortas insatisfeitos.
Buscam desritimar
o que sinto agora, 
por não poder gritar
nesse vácuo.

III

Algumas límpidas
lágrimas
Rolavam da face
meiga da menina.
Era uma vez...

IV

Entre máquinas e graxaz
escrevo meus versos.
Sinto relampejar
uma inspiração
eletromecânica.

V

Que seria das plantas
sem adubo.
Que seria das estrelas
sem o céu.
Que seria da noite
sem a lua
e do homem
sem Deus.

VI

Um moleque paçudo
de ossos a se ver
brincava com suas
próprias costelas.

VII

Hoje senti contade de voar...
Danifiquei os membros
na tentativa.

Tempo de carregamento:0,06