Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Jardim






Se me falta o chão em que piso



se me falta o chão em que piso, busco no próximo passo a convicção de firmeza e se o agora é inconsistente me volto para o futuro que desconheço. carrego comigo o peso de outras vidas. junto forças que não tenho para fazer do meu rastejar minha andança nesta árida estrada. trago no peito a fé dos que acreditam no implausível e aguardo a redenção adormecida. foi preciso te perder e que me perdesses para aprender o significado da palavra deserto, para encontrar o itinerário que precisa ser refeito, para entender que tudo passa, tudo volta, tudo sempre está, para que conhecesse quem realmente somos, quem não éramos, para descobrir que existiam outras mãos e em cada uma delas outras linhas do destino. em cada lábio que encontro recolho uma hóstia.


Assista o vídeo


Poema do livro Crônicas do Amor Impossível. Autor: Jardim


A venda em:
Livraria Prefácio, rua Voluntários da Pátria , 39- Botafogo - RJ (impresso)
Blog do Sergio Akmeida (digital)




Tempo de carregamento:0,04