luiz felipe






Um bêbado tentando

- Merda
Acordei, e vi que o sol batia a pino na janela...
- Caralho, que horas são?
Virei para o lado e la estavam aqueles seios lindos... Não tao grandes, não tao minúsculos. Simplesmente, do tamanho ideal. Do tamanho de um pêssego.
- PORRA, QUE HORAS SÃO???!!
-Ai, amor, acho que umas 8h...
- Merda. Não tenho grana.
Eu acho que o motel  cobrava pela hora. Não lembro direito. Acho que era assim. Entao, nas minhas contas, eram cerca de R$230,00.  Eu não tinha essa grana.
- Porra. Vou ligar para a recepção (...) Quanto É?!?!
- Amor, ficou em R$130,00
- 1 min e estou aí.
Deixei-a no quarto, com um sentimento misto de satisfação e angústia... Pagar por sexo....
Não sei se é algo digno de uma pessoa ‘boa’.
A humanidade não é algo da qual eu quero compartilhar. Não pretendo ser uma pessoa boa.
Eu falava sério. Não queria fazer uma pose de alguém que fosse misantropo.
Simplesmente, uma foda casual.
Aquela garota de programa... Ela era mais sincera do que qualquer outra garota com quem eu já dormira.
- Vocês são mais puras do que qualquer virgem.
- Por que, amor?
- O sexo é mais sincero. A foda é sincera. Não há NENHUMA mentira. Fodemos. Pagamos. Vamos embora. E sabemos, desde o começo, que é isso.
- Amor (...) Olha esse teto, que lindo...
- É... Realmente, muito bonito.
(...)
Não sei se é alguma técnica, mas, convenhamos, elas são do caralho. Quer dizer, me chuta DESSE jeito e me deixa feliz por isso?
Há, Há, Há, Há, Há...
Eu pretendia escrever um puta conto aqui. Digno de ser publicado em qualquer merda. Mas acho que fui longe demais. Quem sabe este não vira um conto de merda. Algum CONFLITO EXISTENCIAl, tao explorado por vocês
Algo chamado... ‘’Um bêbado tentando’’.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.