Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Amarilia Teixeira Couto






Eu te amo.Tu me amas?

Eu te amo.Tu me amas?

“A solidão é fera,
É amiga das horas,
É prima-irmã do tempo,
E faz nossos relógios caminharem lentos
Causando um descompasso no meu coração.
A solidão dos astros;
A solidão da lua;
A solidão da noite;
A solidão da rua.” ( Alceu Valença)



O “eu te amo” que saiu de sua boca
Foi tão efêmero
Tão hesitante
Que durou menos
que uma chuva de verão


As palavras que saíram de seus lábios
Surgiram assim meio ao acaso
No descuido de quem,
Entregue às carícias,
Quer tão somente encantar
E tornar o momento inesquecível

Mas as palavras
que de minha boca saíram
Tiveram a marca da verdade
Encrustada no coração
Não surgiram intempestivas
No calor dos beijos loucos
E das mãos esfomeadas
Na tentativa superficial
De fortalecer a sedução

Não!
Ao dizer olhando em seus olhos:
Eu te amo!
Nada mais fiz que exteriorizar
A minh’alma
E sacramentar o êxtase
Que me domina
Quando estou em seus braços

Vi no seu olhar fugidio
A ausência da ternura
Que me despertava a libido
Que me fazia regaço
de todo o seu corpo

No silêncio prolongado
Na falta do carinho diário
Entendi
O que me escondia
já há algum tempo

Que o sonho pulou o muro
E ganhou a rua
rumo ao desconhecido
percebi que

A solidão dos astros
A solidão da Lua
A solidão da noite
A solidão da rua

É a mesma que nos afastará de vez
Se a sua insensatez
Lhe vedar os olhos
Calar sua boca
Imobilizar suas mãos
Tornar seus ouvidos moucos
E lhe atrofiar as emoções


A solidão do céu
A solidão da praia
A solidão do campo
Da casa
Da cama
Da alma....


Tempo de carregamento:0,02