Tamires da Silva Rocha






O uniforme escolar

           Algumas atitudes são insurportáveis, totalmente sem compostura. Todo dia é a mesma coisa, escuto vozes repulsivas e frases clichês, que praticamente estouram meus típanos. No colégio é assim, uma falasidade sem fim, pela qual se resume em uma comversa que ouço atrás da cadeira. Lá estão novamente  meus companheiros de classe falando mal dos outros pelas costas. O comportamento de alguns é completamente infantil e irracional. Às vezes, pergunto-me se estou numa sala de aula ou num zoológico.
          Lembro-me de uma vez em que o barulho estava me azucrinando o juízo, queria apenas absorver o conteúdo dado pelo professor, mas era impossível ouvir outro som que não fosse o da balbúrdia daqueles pobres animais inquietos. Não sou santa nem tenho vocação nenhuma para ser, porém, tudo tem limite, brincadeira também. Por um minuto tive a sensação de estar sendo transportada para dentro de uma favela( realidade não muito distante daquela classe). Plavras disperdiçadas não voltam. E farda escolar é um vínculo que me torna igual a eles, embora eu tentasse me portar de maneira diferente, as semelhanças sempre vencem.
          E eu me indago: por que o uniforme não é extinto? pois com ele é mais difícil distinguir quem é mau caratér, ou não. Ele nos torna todos iguais, passamos a ser vistos como propaganda da falta de educação daqueles que o vestem.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.