Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







orlando ciuffi filho






A quem possa interessar

  A QUEM POSSA INTERESSAR
 
Hoje estou inconsolável por isso resolvi contar minha vida.
Meu aborrecimento, após uma noite de insônia continuou pela manhã.
Meu pai após acordar-me aos safanões discutiu comigo porque não consegui levantar cedo para ir ao trabalho.
Disse-me mil desaforos. Um deles é que eu não puxei a ele nem à minha mãe, pois ambos sempre foram e ainda são muito responsáveis principalmente com seus horários e obrigações e que eu nunca dou valor a isso e a muitas outras coisas importantes.
Muita injustiça, pois raramente atraso e quando isso acontece existem motivos imperiosos para tal, como insônias ou noites mal dormidas causadas justamente por dias mal vividos.
Minha mãe repreendeu-me junto dele de forma menos contundente e menos agressiva porem falando com outras palavras as mesmíssimas coisas.
Acontece que nenhum deles procurou saber o motivo de minha demora ao acordar.
Jamais ficarão sabendo que meu namoro de mais de um ano ruiu, por dois motivos muito simples. Primeiro porque eu não lhes contarei e segundo porque nunca se importaram em saber se estou feliz ou infeliz com minha cara metade. Nunca me perguntaram se meus namoros são com pretensões de casamento, se são só para ficar, se apenas para passar o tempo ou simplesmente por diversão. Eles desconhecem que já tive seis grandes romances desmanchados com mais de um ano de duração cada um.
Sempre tive a impressão que eles me julgam um robô sem direito a paixões, felicidades, alegrias, tristezas e sofrimentos.
Meus pais só pensam neles e para tanto vivem a me cobrar sobre meus estudos, meu trabalho e meu futuro.
Imagino que desejam tanto que eu me dê bem na vida para cuidar deles que já estão pra lá de Bagdá e não tem nem onde caírem mortos.
Constantemente ouço a maldita frase. Você não pensa em seu futuro?
Pergunto-lhes o que é o futuro?
Só sabem dizer que é ter um diploma universitário, estar com o cofre abarrotado de dinheiro e com um excelente casamento. 
Eles não sabem que a vida da gente é composta praticamente só de passado, que engole rapidamente o presente quase que instantaneamente e sem absolutamente nada de futuro. Jamais alguém viveu ou viverá o futuro, pois no exato momento em que vivemos qualquer situação, ela é o nosso presente e instantes depois ao mudarmos para outro acontecimento aquele de momentos antes já se tornou passado para dar lugar a um novo presente que sumirá de repente como em um passe de mágica para somar-se ao inesgotável passado. É assim que a vida nos engole aparentemente devagar, porém muito rapidamente.
Jamais o futuro existirá de fato para alguém a não ser quando está devidamente comprado e traçado por pais milionários que já o prepararam para os filhos, mesmo antes deles sequer terem nascidos.
Em incomuns exceções também acontecem aos raros predestinados.
Aos demais que são quase que a totalidade dos seres humanos o futuro nunca existirá a não ser em sonhos e desejos. Absolutamente nada além disso.
É a maior briga quando falo assim, mas ninguém pode negar que é definitivamente isso que acontece com todo mundo.
Meus pais insistem em me dizer que a busca dos sonhos atuais imaginando-se um futuro promissor fará lá na frente, em algum dia, ser o então meu falado presente que imediatamente vira passado.
Exemplificam com o sucesso financeiro e familiar de meus irmãos alegando que eles procuraram realizar seus sonhos, com otimismo e perseverança por isso suas vidas são maravilhosas.
Saibam vocês, que minha irmã sempre se dedicou aos esportes, pois sua realização seria ser uma famosa jogadora de vôlei da seleção brasileira, entretanto muito antes de isso acontecer, se é que pudesse acontecer de fato apenas pela sua procura, arrumou um namorado empresário muito rico que casou com ela dando-lhe todo o conforto que atualmente tem.
Até que teve oportunidade em dedicar-se ao vôlei pois seu marido é proprietário de várias casas de vendas de produtos esportivos e até patrocina um grande clube da capital e não seria nada difícil ela freqüentar tal entidade, mas acham que ela após ficar milionária iria se desgastar praticando tal esporte? Virou uma dondoca que nada faz a não ser gastar dinheiro com festas, jóias, viagens e outras besteiras mais.
Meu irmão por ganhar uma bolsa de estudos da empresa onde trabalhava como vendedor anos atrás, formou-se em administração ou direito, não sei ao certo. Atualmente é um milionário, graças as exportações de café de suas fazendas, entretanto o grande sonho que sempre desejou desde criança para seu desejado futuro era ser um importante médico e ter um amplo hospital em São Paulo.
O seu brilhante presente nada tem a ver com seu antigo e imaginado futuro, pois mora quase que o tempo todo nas roças do interior do mesmo estado e não sabe sequer aplicar uma simples injeção em seus cães ou cavalos e muito menos em humanos.
Após tornar-se rico não poderia estudar medicina e realizar seu sonho? Tenho certeza que optou por achar que não valeria a pena tal sacrifício, pois já estava bem sucedido e conforme vivia já lhe bastava.
Ambos se deram bem na vida por meros acasos, ou por seus esforços como queiram, mas totalmente alheios aos futuros programados por eles desde crianças. Portanto foram apenas vivendo de presente em presente até acontecer suas boas vidas atuais. De futuro garantido, eles e todos nós só temos a morte.
Meu último namoro desmoronou-se porque meu grande amor trocou-me. Simplesmente descartou-me como um trapo velho alegando não sentir mais nenhuma atração por mim. Disse-me ontem à noite em um restaurante onde repartíamos as despesas que não mais me amava e ia partir para outro romance mais quente, mais paixão, mais explosivo e que era para eu procurar alguém que se contentasse com meus sentimentos amenos, cautelosos e brandos para que nos amassemos ajuizadamente e para eu ir à luta e passar bem.
Sempre me porto com recato, sou fiel e não demonstro ciúmes.  Estou sempre à disposição e de bom humor para qualquer programa. Nunca recuso um cinema, teatro, motel, televisão, praia, viagens de fins de semana, ou qualquer outro afazer cujo convite me é feito.
Eu definitivamente considero-me uma pessoa totalmente dentro do padrão e de ótimas atitudes que evidentemente deveriam agradar qualquer pretendente a um romance perfeito. Porto-me sempre com tranqüilidade, jamais brigo ou discuto, nunca proporciono gastos exagerados ao meu par, pois sempre divido as contas como é praxe usual hoje em dia. Nunca explorei ninguém embora também nunca me deixei explorar e apesar disso nunca satisfaço. O que me falta para ser feliz?
Jamais tive pais, irmãos ou amigos confidentes para me consolarem ou aconselharem sobre meus vários romances terminados, sempre pelo mesmo motivo. Em todos os rompimentos meu par alegou ter terminado o amor ou o tesão por mim. Nunca fui eu quem rompeu tais compromissos.
Respondam-me. Era possível eu dormir a noite passada e ainda acordar cedo para ir trabalhar?
Não sou jovem mais, pois há muito já passei dos 25 anos e ainda nem sequer consegui entrar na faculdade, pois nunca passei nos inúmeros vestibulares que tentei. Tenho certeza que não é incapacidade minha e sim porque todas as faculdades só dão direito ao ingresso nela a quem compra a vaga e aos que são nerds, coisa que de fato não sou e inclusive abomino. Ninguém deve fazer nada em excesso, pois tudo que assim é feito acaba em vício e tal coisa sempre terminará com danos para o corpo ou para a mente.
Isso é outro imenso desgosto para meus pais. Vivem a jogar-me na cara que meus irmãos já são formados, bem casados e muito bem situados na vida profissional. São os maiores orgulhos deles e nunca reclamam por eles sequer mandar um cartão de natal ou mesmo em seus aniversários um rápido telefonema de feliz data.
Quando meus pais ligam para eles geralmente são atendidos pela secretária eletrônica e nunca têm retorno. As poucas vezes que são recepcionados são por empregadas domésticas e através delas que têm algumas poucas notícias de meus manos. Tenho certeza que eles nem sabem se tem netos ou não, pois nunca tiveram notícias de tais nascimentos.
Ainda bem que não conseguem falar com eles porque senão as contas telefônicas ficariam caríssimas para eu pagar, pois é um dos custos da casa que fica sob minha responsabilidade.
Não são muitas as minhas despesas em casa por eu ganhar pouco e essa é outra bronca deles. Vivem a me dizer que eu deveria dedicar mais no trabalho. Que eu não visto a camisa da empresa onde trabalho e coisas e tal.
De fato não puxo saco de patrão nenhum. Não sou Caxias e nem corro muito atrás mesmo. Cumpro com minhas obrigações sem me matar, pois todas as atividades e afazeres conforme meu contrato de trabalho são rigorosamente cumpridas dentro do prazo normal da jornada pré estabelecida. Jamais deixei alguma coisa para terminar depois, assim como nunca terminei nada rapidamente para procurar auxiliar meus colegas, pois conforme meus julgamentos todos têm de cumprir tão somente sua empreitada e se algum deles precisou de ajuda, é porque ele quem foi ineficiente e incapaz e não cabe a mim ter de auxiliá-lo em nada.
Ninguém me compreende por pensar assim e meus pais dizem que eu não cresço na empresa é exatamente por isso. Não concordo e embora esse seja outro motivo de muitas brigas minhas com eles continuo minha vida a meu modo, pois ela é minha e só a mim devo satisfações.
Meus colegas de trabalho pensam e recriminam-me pelo mesmo motivo. Constantemente dizem que devo ter ambições maiores, mesmo correndo riscos se por isso incorrer em erros e perder o emprego.
Se essa é a paga por ter grande ambição está totalmente errado te-la em excesso. Não é mais coerente mantê-la em nível baixo e não correr risco nenhum?
Meus pais também pensam como eles e falam que devo aventurar-me em certas coisas com mais arrojo e em outras ser mais prudente para que elas se contrabalancem mantendo-se o equilíbrio. Que só assim irei conseguir algo grande tanto na vida social, quanto amorosa e profissional.
Não é uma tremenda estupidez de quem pensa assim? Se tiver de avançar o sinal em algo e retrair-me em outras coisas para equilibrar minha vida, não é o mais correto manter todas minhas decisões em níveis iguais sem nada arrojado e nada muito cauteloso. Agindo assim não terei uma vida reta, rotineira e metódica sem altos e baixos e sempre em perfeito equilíbrio? Não é a maneira mais correta de se comportar? Todos que me recriminam vivem permanentemente com seus avanços e atrasos tentando manter-se em pé na corda bamba da existência para não cair e ainda têm a ousadia de julgarem exatamente a mim que permaneço mantendo rígidas e corretas minhas atitudes. Honestamente onde está meu erro, se tudo que faço é da maneira mais ponderada possível?
Tenham certeza que infelizmente estou cercado de pessoas que não tem um mínimo de bom senso.
Meu patrão vez por outra me cobra mais rapidez em meus afazeres, mas isso não passa de tentativa de escravizar-me como faz com quase todos seus funcionários.
É claro que estou certo julgando-o escravagista, pois ele não para de tentar exigir mais e mais dedicação minha, mas se dá por satisfeito com meu trabalho pois permaneço ha muito tempo no emprego. Se ele me julgasse incapaz não já teria me demitido?
Estou na mesma empresa há quase dez anos e já vi passar por lá várias pessoas que não se deram bem no trabalho e mesmo sendo puxa sacos foram demitidas.
Até concordo que alguns do meu tempo já estão em cargos de chefia, de gerencia e até de diretoria e eu continuo como auxiliar de escritório desde que entrei, mas isso ocorre justamente por eu não babar ovo de chefe nenhum e por isso deixam-me como estou. Entretanto assim como existem esses que tiveram promoções muito mais são os que já foram demitidos por vários motivos.
Eu simplesmente nasci com esse destino e devo continuar trilhando por ele com meus pensamentos puros e sensatas atitudes até meu final e torcer para que ao casar-me, se algum dia isso acontecer, que meus filhos não tenham o mesmo destino.
Caso você que leu esse pequeno conto imaginar que é semelhante a sua história de vida, pode ter certeza que não é mera coincidência. É de fato a sua história sim e tanto faz se for homem ou mulher, pois em momento algum se definiu o sexo da personagem central da narrativa. Tome cuidado com o que pensa sobre o mundo e rapidamente ouça e ponha em prática os ensinamentos de seus pais, de seus colegas de serviço, de seus patrões e de seus namorados ou namoradas. Ainda há tempo para modificar-se e conseguir ter uma vida feliz com um até risonho futuro a sua espera para se transformar lá na frente em seu glorioso presente.
Sucesso em sua transformação se lhe interessar, pois caso contrário sou eu quem torço para que não se case e tenha filhos, pois em não os tendo não poderá impingir esse triste e medonho destino para eles.
acabou
 

 
 
 

Tempo de carregamento:0,03