joao bernardes da silva filho






Foi dormindo que partirdes


Foi dormindo que partirdes
 
Ao levantar-me a tua ausência
Estava do meu lado presente
Não me sentia completo
Pois tu mim faltava
 
Hoje o sol amanheceu
Sem aquele fulgor
Que outrora tinha
Porque tu não estas aqui
Para dá-lhe o brilho
 
Na cabeceira o teu semblante
Antes que o sol despontasse
Era ele quem primeiro luzia
Não esta mais aqui
Nem os olhos que vertiam luzes
Já não olham mais para mim
Partirdes nas negras luzes notívagas
Com um pássaro que abre as asas
E esvoaça, esvoaça do ninho
 
Autor: Joao Bernardes
Viçosa do ceara,  TAPADO.Foi dormindo que partirdes
 
Ao levantar-me a tua ausência
Estava do meu lado presente
Não me sentia completo
Pois tu mim faltava
 
Hoje o sol amanheceu
Sem aquele fulgor
Que outrora tinha
Porque tu não estas aqui
Para dá-lhe o brilho
 
Na cabeceira o teu semblante
Antes que o sol despontasse
Era ele quem primeiro luzia
Não esta mais aqui
Nem os olhos que vertiam luzes
Já não olham mais para mim
Partirdes nas negras luzes notívagas
Com um pássaro que abre as asas
E esvoaça, esvoaça do ninho
 
Autor: Joao Bernardes
Viçosa do ceara,  TAPADO.
Foi dormindo que partirdes
 
Ao levantar-me a tua ausência
Estava do meu lado presente
Não me sentia completo
Pois tu mim faltava
 
Hoje o sol amanheceu
Sem aquele fulgor
Que outrora tinha
Porque tu não estas aqui
Para dá-lhe o brilho
 
Na cabeceira o teu semblante
Antes que o sol despontasse
Era ele quem primeiro luzia
Não esta mais aqui
Nem os olhos que vertiam luzes
Já não olham mais para mim
Partirdes nas negras luzes notívagas
Com um pássaro que abre as asas
E esvoaça, esvoaça do ninho
 
Autor: Joao Bernardes
Viçosa do ceara,  TAPADO.
Foi dormindo que partirdes
 
Ao levantar-me a tua ausência
Estava do meu lado presente
Não me sentia completo
Pois tu mim faltava
 
Hoje o sol amanheceu
Sem aquele fulgor
Que outrora tinha
Porque tu não estas aqui
Para dá-lhe o brilho
 
Na cabeceira o teu semblante
Antes que o sol despontasse
Era ele quem primeiro luzia
Não esta mais aqui
Nem os olhos que vertiam luzes
Já não olham mais para mim
Partirdes nas negras luzes notívagas
Com um pássaro que abre as asas
E esvoaça, esvoaça do ninho
 
Autor: Joao Bernardes
Viçosa do ceara,  TAPADO.
Foi dormindo que partirdes
 
Ao levantar-me a tua ausência
Estava do meu lado presente
Não me sentia completo
Pois tu mim faltava
 
Hoje o sol amanheceu
Sem aquele fulgor
Que outrora tinha
Porque tu não estas aqui
Para dá-lhe o brilho
 
Na cabeceira o teu semblante
Antes que o sol despontasse
Era ele quem primeiro luzia
Não esta mais aqui
Nem os olhos que vertiam luzes
Já não olham mais para mim
Partirdes nas negras luzes notívagas
Com um pássaro que abre as asas
E esvoaça, esvoaça do ninho
 
Autor: Joao Bernardes
Viçosa do ceara,  TAPADO.
Foi dormindo que partirdes
 
Ao levantar-me a tua ausência
Estava do meu lado presente
Não me sentia completo
Pois tu mim faltava
 
Hoje o sol amanheceu
Sem aquele fulgor
Que outrora tinha
Porque tu não estas aqui
Para dá-lhe o brilho
 
Na cabeceira o teu semblante
Antes que o sol despontasse
Era ele quem primeiro luzia
Não esta mais aqui
Nem os olhos que vertiam luzes
Já não olham mais para mim
Partirdes nas negras luzes notívagas
Com um pássaro que abre as asas
E esvoaça, esvoaça do ninho
 
Autor: Joao Bernardes
Viçosa do ceara,  TAPADO.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.