Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Amarilia Teixeira Couto






Amor distante





Amor distante

Este amor que veio de longe
Que surgiu no virtual
Faz de minha vida um oásis
Em meio a um deserto sem igual

Este amor inesperado
Mas engendrado em antigas eras
Me chegou assim do nada
Como um lindo presente

Este amor andava por aí me procurando
Ziguezagueou por estradas tortuosas
E pegou até alguns atalhos
Pra me encontrar
É que ele não parou para olhar as estrelas
E ler um recadinho de Deus


Este amor se perdeu nos caminhos
E que nem um barco à deriva
Sucumbiu ao primeiro socorro que lhe apareceu



Mas numa noite de maior cansaço
Este homem que me veio de longe
Contemplou o céu
Brincou com as estrelas cadentes
Fez da Lua uma confidente
E descobriu o que dizia o pergaminho

Entendeu que estava escrito o seu destino
E que todos os momentos de desatinos
Ficariam para trás


Então
Este amor singelo
tipo aquele amor feinho que procurava
Me apareceu batendo à porta
Jeito de menino carente
Olhar doce como mel
Misturado a um quê de nostalgia indecifrável

E eu bebi desse olhar
Me prendi a ele definitivamente

Hoje este amor que chegou de repente
Usa chapéu de sol
Cuida das plantas do quintal
E me faz mulher como ninguém
É que ele tem todo um jeitim mineiro
Que chega mansamente
Sem nada aparentar
E vai ocupando todos os espaços
No coração e na vida
De quem optou por se deixar amar
Apesar de...
Apesar...
Apesar...


Tempo de carregamento:0,04