Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Amarilia Teixeira Couto






Também quero um amor feinho

Também quero um amor feinho
( lembrando Adélia Prado)


"Eu quero amor feinho.
Amor feinho não olha um pro outro.
Uma vez encontrado, é igual fé,
não teologa mais." (Adélia Prado)


Também quero desse jeitinho
um amor sem vaidade
sem confronto de egos
ao gosto de Adélia

Alguém já prestou atenção
no jeito de amar de quem é da roça?
não tem nenhuma sofisticação,
nada de "eu te amo"
nada de ilusão

Os filhos vão chegando
no querer de Deus
e um amante tem no outro
a sua única e verdadeira opção
O amor feinho pode até ser
magrinho
já que a lida diária é por demais,
mas o sexo rola solto
intenso
sem culpa
sem filosofias

Quero um amor igualzinho pra mim
o que faz com que as manhãs
sejam mais bonitas
que o olhar encontre no quintal
ainda ao nascer do Sol
uma florzinha recém-nascida
e a mostre à pessoa querida
como a dizer:
sou feliz com você!


Amor feinho é bom demais
não se inquieta com o que não é
não sabe nada do futuro
nem vive de passado
quer tesão maior?

Por isso amor feinho não envelhece
pois não padece
da avareza
é na simplicidade
no essencial
que ele se revigora
é a esperança que o realiza
a espera do real
do possível
depois da lida
ou enquanto Maria faz a janta
e as crianças estão lá fora
José se achega fazendo cafuné
calado assim mineiramente
pois amor feinho prescinde das palavras
é o que é: homem e mulher

Quero um amor feinho pra mim!

 


Tempo de carregamento:0,04