Luiz C. Lessa Alves






A ÁRVORE E O MACHADO

A ÁRVORE E O MACHADO
 
“Um dia, dei a ti, de mim, um pedaço,
“Por te ver triste, tedioso, magoado...
“Inútil sem uso, abandonado;
“Jogado num canto solitário da casa.
“Hoje, porém, com muita tristeza,
“Vejo-o feliz, às gargalhadas,
“A mastigar minha cepa.”.
Chorando, disse-lhe a árvore ao machado.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.