Edson Lopes de Oliveira






Saudades de uma certa borboleta


 
Saltitando em meu quintal, pura,
Solta como uma borboleta
Em  poças de chuva.
Já ali, criança espoleta,
Subir em coqueiros, mangueiras e goiabeiras
Era só o prenúncio de quem queria voar.
Voa, voa borboleta ousada
Depois você me diz
O que é verdade e lindo neste Rio
Conta-me tudo que viu,
Se é mesmo pura poesia
A vista do Cristo Redentor,
Fale-me de Ipanema
Retrate-me o Leblon
Diz-me se realmente ficou bacana
A estátua do poeta em Copacabana
Se caso passar em Vila Isabel
Fale-me algo do Noel
Mas não se esqueça da Rocinha,
Chatuba,   Borel ,  Arpoador
E onde mais você for
Conta-me do samba e suas escolas,
Fale-me do Pão-de-Açucar,
Se é mesmo de encher de mel
Os olhos de quem assunta.
Agora, me conta
Diz aqui pro velho tio:
Quando você volta?????
 

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.