Edson Lopes de Oliveira






OPOSTOS 4:30

OPOSTOS   4:30
 
 
4:30 da madrugada,
Lá vai o cidadão
Le dar com a vida.
Imposto de renda, IPTU,
O básico, o dízimo, o pão
Lá vai o cidadão
Sem saber se volta,
E se o salário chega.
Lá vai o cidadão;
Nas costas,  a mochila e o rango
No peito,  fé e disposição.
Lá vai o cidadão cumprindo sua sina,
Fazendo o seu papel,
Acreditando nos céus.
Lá vai o cidadão...
4:30 da madrugada,
Lá vem o Estado.
Sem segurança, sem saneamento,
Lá vem o Estado que o cobra
A todo o momento,
Sem se importar com o seu estado.
Lá vem a política com promessas, ilusão
Lá vem Igreja lhe vendendo o perdão.
Cadê a marmita que deixei aqui?
O Estado comeu.
Cadê a ética que depositamos aqui,
No peito???
A política roeu.
Cadê o dízimo que pagamos ali?
O clero lambeu.
Lá vai o cidadão...
 

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.