Juliana Silveira






SER GROSSEIRO NÃO É SER SINCERO

 Virou quase um hábito, para algumas pessoas, depois de disparar um tiro em forma de verbo na direção de alguém, justificar-se dizendo: "só estou sendo sincero". Então a sinceridade, que deveria ser um atributo, vira justificativa para quase todo o tipo de grosseria verbal.
 
Falar as coisas da pior forma ou ainda no momento errado não é sinceridade, é desrespeito, mesmo. É óbvio que em meio a uma acalorada discussão, é praticamente impossível para um ser de carne e osso não se alterar. Porém, me refiro a pessoas que são grosseiras mesmo na vida cotidiana, sem estar alteradas por um instante de fúria.
 
É quase um estilo de vida, agüente quem estiver perto. O sujeito diz pra própria mãe "você se comporta como uma imbecil" e explica às visitas que está apenas falando a verdade para a pobre mulher. Talvez ela faça coisas imbecis de vez em quando, mas este xingamento não irá mudar nada. Xingamento não é sinceridade, é ofensa mesmo. E ofensa, a meu ver, não ajuda ninguém a crescer. Sinceridade sim.
 
Acho que o que diferencia uma coisa da outra é a intenção por trás do que se fala. Se você está a fim de descarregar a raiva, "pagar na mesma moeda", se defender... provavelmente sua fala carregará essa mesma energia. Você não estará dizendo "uma verdade", porque a verdade é ampla, inclui tanto o ódio quanto o amor.
 
E quando você está vibrando na raiva ou na necessidade de agredir o outro, pra se achar superior ou simplesmente por defesa, o amor fica quase que de fora, escondido em um compartimento de sua alma. Você não vê o outro, porque está centrado apenas em se proteger. Então o que você falar será no máximo uma meia verdade, ou uma verdade torta, contaminada por seu medo ou por sua raiva.
 
Claro que não sou a pessoa mais calma do planeta e não digo apenas coisas lindas. Mas exatamente por já ter ferido os outros algumas vezes, sugiro que, antes de sair falando tudo o que se pensa e se esconder atrás do título de "sincero", se espere até que o coração se abrande. Só então será possível estabelecer um diálogo decente (e sincero).
 
A fala do coração é mais compreensiva, considera o outro, é mais verdadeira. Portanto, é sincera. Deve ser por isso que as pessoas que tem esta sinceridade que vem do coração nunca estão sós, sempre há quem as auxilie, quem as ilumine. Os outros são como um espelho, portanto quem só vê a si próprio e espalha grosseria, acaba mesmo é falando sozinho. (Juliana Davi)

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.