Mauro Evaristo






Dia das crianças

Vejo tubos de cola vazios
Jogados aos cantos de um chafariz
Enquanto olhos sombrios
Me observam ao longe, um petiz!

Observo um corpo jogado
Cheio de sangue na rua,
Enquanto todos olham para o lado,
Seguindo cada um na sua!

Na mídia fazem campanha
Anunciando um mundo melhor,
Trabalho duro de uma semana
Para lembrar que ninguém está só!

Pergunto qual o sentido
De tantas crianças passando fome
Enquanto corruptos políticos
Fazem por merecer o próprio nome?

Eu deveria estar feliz
E me render a alegria,
Mas nem preciso cruzar o País
Para ver crianças em agonia!

O País está em festa
Cheio de fé e esperança?
E eu, por me assumir poeta,
Deveria exaltar o Dia das Crianças?

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.