Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Bianca Falci






TRANSITORIEDADE CRÍTICA E ANALÍTICA DO PERÍODO RENASCENTISTA PARA AS DIFUSÕES DO BARROCO

PARA ENTENDER MELHOR O PERÍODO RENASCENTISTA
 
         O Renascimento foi uma expansão revolucionária iniciada no século XIV, que predominou as áreas da Literatura, Ciência, Teatro, Política, Religião, dentre outras não mencionadas neste trabalho.
         Iremos ter como foco central, o Movimento ingresso na Literatura juntamente com as Artes, analisando os pontos principais para a transitoriedade dessa estética literária para o período do Barroco.
         A visão de mundo nessa época foi transposta do Teocentrismo, no qual trazia a mensagem de que Deus seria o centro do Universo; ideia imposta pela Igreja Católica na Idade Média, para o Antropocentrismo, uma visão mais ampla, na qual o homem seria o centro do Universo. Nessa passagem de ideias, o homem expôs seu pensamento e sua razão, sem a opressão vivida anteriormente.
         Focando para a Literatura, o Renascimento teve como conceito a redescoberta e a revalorização das referências culturais da antiguidade Clássica, que nortearam as mudanças deste período em direção a um ideal humanista e naturalista.

PASAGEM PARA O BARROCO
 
         O Barroco rompeu com o Classicismo Renascentista, no fim do século XVI.         Foi um estilo que conservou muitas características do movimento literário renascentista, mas se opunha a ele por dirigir-se mais aos sentidos do homem do que à sua inteligência. Por isso, preocupava-se muito com a ornamentação das obras de arte, e com os aspectos contrastantes e trágicos das mesmas.
          A obra barroca é repleta de figuras de linguagens, que trazem os exageros e contrastes, características do período. O Barroco queria algo novo, uma visão nova de mundo, queria aquilo que era extremamente grotesco. A poesia se dividia em lírica e satírica. A lírica trazia reflexões sobre o amor, a compaixão, a tristeza pelo desprezo da mulher amada, a melancolia pela chegada da morte. Já a poesia satírica era de cunho zombeteiro, onde muitos poetas usavam de imoralidades para exaltarem sua obra. Críticas eram feitas através de sátiras indiretas feitas até mesmo para denunciar certas situações anti-sociais.
          Essa escola literária rompeu com toda organização ideológica da sociedade, e influenciou muito na História Geral.
 


Tempo de carregamento:0,04