Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Oliver Barros Xavier Januário






Poema de cordel: A proposta de poeta cordelista

A proposta de poeta cordelista

Ilustre amigo de cordel, eu digo:
– A proposta de cordelista aceito!
Aliás! Ser variado é meu conceito,
Josué Gonçalves! És poeta amigo,
Palavras com estilo, eu abrigo,
Lampião? Talvez coisa do destino,
Pois, sou sim filho de nordestino,
O dom de poetar ao senhor afirmo,
Essa tal arte não és um abismo,
E tão incrível que não desabrigo!

Oh! Iluminados mestres do sertão,
De inestimáveis conselhos eu ouço,
As vezes meio sem jeito retouço,
Nessa forma de cultura a canção,
E com as palavras, sim! És paixão,
Uma ação de concretização épica,
De forma concebida a proeza época,
De lendas aos mitos folclóricos,
O cordel de registos heroicos,
Digo já então, amarei de coração!

Logo aventureiro ao navegante,
Como humilde poeta eu conheço,
Sonho que tive ainda jovem moço,
Um tal mundo lírico de elegante,
Do cordel sobre o planeta a solução,
De versos coloridos cheio de ação,
As pessoas rindo e rimando felizes,
Com muita emoções e encantos ferozes,
De muita eita sou alegres corações,
Vivos no instantes de amandas ações.

Oh, poeta amigo bom! Josué Gonçalves,
Compreendo suas tamanhas emoções,
De tal senhor sonhador de sertões.
Do cordel digo mim aqui que salves,
De tal belíssimas rimas do encanto.
Se não eu vou de longe ir muito pranto,
Pois, a minha alma de dentro vos chama,
O principio de poeta sonhador...
Contudo, acho que tu já é um fisgador,
Por declamar a proposta que já clama.


Tempo de carregamento:0,04