Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







LaniaTeixeira






DO AMOR

Diante da dor
Do amor perdido
Nada tem valor
 
Nem mesmo o amor
Mantem o respeito
Seria amor?
 
O amor é calmo traquilo
E acima de tudo benevolente
E não brusco, mal, insolente
 
A dor vem da imaginável posse
Do conceito individual de propriedade
Na perda apresenta-se a vulgaridade
 
Vulgaridade dos atos
Vulgarização dos fatos
Oh, dor! Como dói
 
A dor da perda dói
A dor da dor dói
Mas não é dor de amor


Let
10JUN2011



Tempo de carregamento:0,04