Carmilton Amaral






Ninguém é de ninguém

Ninguém é de ninguém
Acho que por algum motivo a bola de cristal não está presente na vida de tanta gente, hoje inclusive na minha. Pois, se fosse diferente eu deixaria de viver tudo o que passamos juntos ou mesmo no momento que estivemos distantes e poderiaaté perder porque foi tudo muito bom.
      Então, não deixando passar em branco o que aconteceu no período que nos conhecemos, as minhas palavras expressam dessa forma:
      A fase de conhecimento entre duas pessoas gera  emoções, expectativas e sensações. Emoções que te fazem sentir vivo, emoções que uma vez não expressadasde outra forma o corpo não consegue esconder, e, causa  calafrio, ansiedade e suave arrepio, ou talveza fragilidade tão escondida do homem que, talvez esse sim, éo verdadeiro sexo frágil. Ocoração ( o mais envolvido nessa mútua situação de perguntas sem respostas), agora é o responsável por tudo, já que nenhuma outra parte do corpo jamais assumiu essa responsabilidade nas músicas, e nem mesmo nas frases dos poetas, sabendo eles que há todo um processo até que todas essas mensagens sejam enviadas ao mesmo.
     Mas o tempo foi passando e deixando de existir a emoção,a expectativa e a sensação por que a verdade foi esclarecendo os fatos. E nos momentos em que vocêdeixava a vida te levar,era onde estava sendo observada e analisada. Eu até que tentei entrar na onda de “deixa a vida me levar”masminha vida sempre foi de projetos e execuções, eu poderia até continuar mas,sem querer somos obrigados a mentir pra não magoar, já que nossa situação sempre foi de: “ninguém é de ninguém”. 
Autor:
Carmilton Amaral de Oliveira                                   
 
 

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.