Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Abraão Leite Sampaio.






Mãos com luzes.





Fatos inusitados nas mãos deste iluminado.
Longas e cansativas caminhadas,
 recebendo atenções inadequadas.
Daqueles que olvidaram o "Pai amado".
 
Perseverança e passos acentuados,
cobrindo com manto leve
Aos que se encontram desesperados.
 
Livrando-os do labirinto e escuridão,
através dos abstratos...
 amor e compaixão...
 
No toque de Midas vinha o ouro...
Ao "deste", suaves lagrimas para o descanso eterno.
Alcance maior, que este corpo almeja... como sendo grande tesouro
 
Paz e solidariedade não traçam linhas paralelas,
"neste" provido de sabedoria e imparcialidade.
 
Faz com que estes vocábulos sem bases materiais,
se unam fortalecendo-lhe para reerguer o desequilibrado...
que se encontra em um tatear desnorteado.
 Dedicando-lhe amor e prazer,
clareando seu caminho para que possa se restabelecer.
 
Aventurado filho... que na tenra idade já vislumbrou caminho da verdade.
Endereço sem segredo e revelado, mas poucos se direcionam a este lado.
Distanciando-se da espiritualidade.
Pena, pesar, dos que os olhos cerram... desviando-se deste lugar.
 
Mãos que não tremulam,
 tampouco toques em vão... pois na fé profunda equilibradas estão,
De elas o suavizar profundo aos que estavam por transcender-se deste mundo.
 
Corpo e alma... com força inesgotável
não comparte individualidade...
interagindo com a sociedade de forma admirável.
Dele não só emanam boas diretrizes...
semeia paz: com brotos, folhas e frutos apoiada em profundas raízes.
 
Com estas ações sem garbo e ambições.
Não paira dúvidas que o respiro derradeiro...
virá como o adormecer de um corpo extenuado ao anoitecer.
Portas abertas do reino maior para o aconchego infinito,
 Deste que agora é "luz e espírito". 
 
                                                                                                                      
Abraão  Leite Sampaio.

Poema  ao amigo:  " Pastor Luthero"  .
Governado Valadares  20/03/2011.


Tempo de carregamento:0,06