Rodrigo Antunes






Lamento de um Deus


Minha bagagem cultural não é tão grande quanto eu gostaria.
Deve ser terrível ser preso, mas muito legal se em uma livraria.
Ao invés de um carcereiro, armado e violento,
que fosse um escritor, criativo e com sentimento.
Me perguntando o motivo do crime que cometi,
Sendo que na verdade, eu sempre sonhei em ficar preso ali.
Sem remorso, dor, implorando misericórdia,
Me tranque na solitária, não compartilho sua discórdia.

Quero um mundo só meu, sem nada que existe lá fora,
Onde eu crie criaturas fiéis, que não desejem ir embora.
Que almejem apenas serem felizes, sem medo de mim ou do futuro.
Seu criador está com vocês, não os deixarei sozinhos no escuro.
Não peço orações, oferendas e sacrificios,
Apenas que pratiquem o bem, esqueçam o que sabem sobre suplícios.

A vocês, ofereço o mundo que criei para dominarem,
Porém peço que reflitam muito bem, mesmo antes de se julgarem,
É facil se equivocar quando não se há bom exemplo,
Pensem principalmente em vocês, antes mesmo de construir o meu templo.

Não peço nada em troca, só que façam melhor do que fizemos,
Quem nos criou, não nos deu muitas dicas de como viveremos,
Escreveu um livro, com muitos de seus ensinamentos,
porém são muitas criaturas, que no livro encontram seus tormentos.
Não tentem ser iguais a mim, não tenho nome, eu os criei,
Façam como quiserem, não lhes farei mal e jamais os julgarei
A vida, a liberdade e o sonho está em suas mãos,
Concretizem o que lhe traz conforto, não se abatam, jamais se joguem ao chão.

Não olhem para cima, orando e esperando minhas respostas,
Estarei ouvindo de coração, e jamais lhe tornarei as costas.
Porém não poderei voltar a seu mundo e mudar o que você fizer,
Assim como esperamos o retorno de nosso criador, para que possa nos absolver.
Pecamos diariamente, esperando sermos perdoados,
Peço que não se desculpem, vocês são os únicos culpados!

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.