Mauro Evaristo






Mérito.

Não vejo a menor validade
Em falar I love you
Se nos guetos da cidade
O povo come o que não sobra aos urubus!

Não vejo nenhuma vantagem
Em dizer ao meu bem jet’aime
Se tanto em Sampa quanto em Contagem
Há sempre um pobre para cair do andaime!

Enquanto isso, lá no Planalto,
Na alegre ciranda do Orçamento,
O povo é tomado de assalto
Para superfaturar mais um empreendimento!

Eu, um dia, creditei,
E ao creditar tomei na cara.
E só agora é que notei
Que meu voto é uma navalha!

Enquanto alguns em Barcelona
Lutaram para trazer o ouro,
Outros na maior zona
Afanaram o pagamento dos tolos!

Não vejo nenhum mérito
Em levantar tantos canalhas
Que roubam meu voto de crédito
Para cortarem minha cara!

08/09/1992

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.