Ana Flores






MORDAÇA

Mal começo uma frase e já vejo as granadas vindo em minha direção. Minha frase se desmancha em meio à fumaça e ao cheiro de idéias queimadas. Tento palavras soltas. As granadas demoram, mas acabam chegando: as palavras, mal ou bem, dão uma pista da idéia original e também são eliminadas. Experimento sons esparsos, mas minha voz se trai no tom apaixonado e é abafada pelo abalo ensurdecedor e convincente das explosões. Para não morrer sem ser compreendida, meu olhar manda a mensagem. As granadas sossegam por instantes. Mas já não há ninguém para decifrar o pensamento que transborda dos meus olhos: todas as atenções estão voltadas para as mãos dos granadeiros.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.