Diana Ferreira Teles






Avassaladora

Não me deixas ir...
Segura-me aos teus pés...
Olha-me como se fosse única...
Seduz-me como o enlace...


Busca meus lábios como a inópia dos desertos...
Vivifica-me como a primavera...
Pede-me que fique onde estou...
Não sabes o que dizes...


Se eu entrar não poderei mais sair...
Te consumirei como as cinzas...
Te afogarei como os mares...
Te amarei como as virgens...


Me instalarei como o pó do ar que sempre esta lá...
Cravar-me-ei em teu coração...
Para sempre aprisioná-lo em meus domínios...
Farei de mim teu sorriso...
E para sempre hei de rasgar meu rosto por motivo do tão disputado brasão chamado amor...
   

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.