Mauro Evaristo






Madrugada afair

Eu sou aquele que carrega
O amor feito estandarte,
E é tão puro que se entrega
Qual criança traduzindo a arte!

Eu vejo o sonho nascendo
E por ele muitos se veem sorrindo,
Por saberem que o que estão fazendo
É um novo sonho sendo construído!

Eu vejo o mundo em paz,
E os Bushs abraçados aos Osamas e Sadams
Por saberem que o hoje se faz
Acreditando no amanhã!

Eu vejo, sim, o futuro
No qual insisto em crer
E sei que o que falta no mundo
É falta de bem conviver!

Eu vejo nesta terra
O que muitos insistem em negar,
Pois para que não haja guerras,
Basta apenas amar!

Eu sou aquele que procura
A presença de uma doce mulher
E hei de encontrar este poço de ternura
Em uma madrugada afair!

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.