Luiz C. Lessa Alves






SILÊNCIO

SILÊNCIO
 
Quando me procuraste
Nada me disseste:
De onde vinhas, para aonde ias;
O que querias, o que sentias...
Nada!
Apenas me abraçaste e choraste.
 
E eu, também, nada perguntei;
Nada te pedi, nada te falei...
Nada!
Te acolhi, somente, e te afaguei.
 
E tu, calada,
Entraste na minha casa;
Comeste da minha comida;
Bebeste da minha água;
Dormiste na minha cama;
Acordaste com o sol...
 
E ainda assim, calada,
Em silêncio, foste embora...
Sem lágrimas!
E eu fiquei sem nada.
 
Levaste a minha casa,
Minha comida, minha água,
Minha coma, meu sol...
Deixando-me só,
Às lágrimas.

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.