Luiz C. Lessa Alves






POR QUÊ

POR QUÊ
 
Diz-me, ó Deus, quando canto,
Por que choro?
E quando triste,
Por que rio do meu pranto?
Por que canto e faço rio?
Por que riso faz-se em pranto?
Por que pranto faz-se em riso?
Por que rio, quando rio?
Por que rio assim tão triste?...
Dize-me! Dize-me! Dize-me!

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.