GERALDO DE CASTRO PEREIRA






NINHO DE ESPINHOS

           Gracioso passarinho
           Começou a fazer seu ninho
           No galho de uma palmeira.
 
            Com todo cuidado,
            apanhava com o bico
            ora um galhinho
            ora um cisco
            ou um espinho
            no chão.
 
            Ia nas paineiras
            Buscar paina macia
            Para forrar seu ninho,
            Colocando os espinhos por fora   
            Para sua proteção.
 
            Como o passarinho,
            Também quis fazer meu ninho
            Dentro do coração.
            Peguei gravetos da Esperança,
            E espinhos da ilusão.
            Fui buscar a seda suave
            Dos devaneios
            de uma paixão.  
            
            Mas, ao contrário
            Do belo ninho do pássaro,
            A maciez ficou de fora.
            Por dentro: só espinhos.     
                  
               
         

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.