Mauro Evaristo






Paixão perdida.

Um nome gritado em vão
Para aplacar uma dor,
Um sonho, uma ilusão,
Um desejo além do amor!

O vento bate em meu rosto
E quanto mais forte for me faz ver
Que um imenso desgosto
Me fará padecer!

Tudo o que não consegui,
Tudo o que ainda quero,
Tudo a me perseguir
No sonho no qual me desespero!

Estou agora tão distante
E cartas não podem aplacar
A dor de cada instante,
Que fica a me sufocar!

O sonho que está perdido,
A glória que não alcancei,
Uma dor que pensava ter esquecido
E sem sentir a ressuscitei!

Um sonho a todo segundo,
Um pedido a toda hora,
Uma dor que não cabe no mundo,
Nem valeu ter ido embora!

Tudo o que peço na vida
É só um momento ao lado
Desta paixão perdida,
Que não sabe o que tenho guardado!

Outros amores passaram por mim,
Mas jamais terão o valor
Que faz de começo o fim,
Ressuscitando assim este amor!

Só mesmo este nome
Que tenho gravado no peito,
Que mesmo estando longe
Me faz sentir refeito!

Às portas de um novo tempo
Ainda carrego sonhos do passado,
Que alicerçaram meus sentimentos,
Me deixando inacabado!

Eu sei que não é válido
Lamentar o que se encontra perdido,
Mas quem vê meu rosto pálido
Não vê meu coração ferido!

Vagando entre o céu e a terra,
Sigo louco e descontente,
Lutando em minha íntima guerra,
Tendo a alma plangente!

Às vezes me param nas ruas,
Me perguntando como estou indo.
Aí a saudade fria e crua
Me faz ver que vou só existindo!

Para mim não há cadernos
Onde possa definir esta emoção,
Pois tudo em meu interno
Explode aos poucos de paixão!

CopyRight © Cepedê Sistemas & WebSites - Comércio eletrônico.