Apelido:

Senha:


Esqueci minha senha







Joseh Ribas






OUTRO POEMA

Matou-se um pouco de mim cada dia
E a cada volta da emboscada
Levaram-me a alegria, fantasia rasgada
Alguém sugou o cobertor de estrelas
E outro ainda o fogo que alimentava

Ficou o sorriso de vidro, transfixado
No momento que não mais vem
Mas trago no verso que é meu emblema
Os avessos que faço meu dilema
E o alcanse da verdade que vai além

Não me podem fisgar a réstia de vida
Nem as trilhas pelas quais saía
Em busca de uma distância de liberdade
Não puderam atalhar os infinitos
Bem guardados na prensa da ventania

O verso é meu brasão na sala de armas
Minhas armas são os pensamentos
Que volteiam em mancheias de espanto
Aqui são meus de fato o irreal, e o impossível
Em meio aos farnéis do tempo.


Tempo de carregamento:0,03